Implante dentário moderno

18/05/2012 12:56

 

 

Uma nova tecnologia já disponível no Brasil permite a colocação de um implante dentário rápido. Toda a cirurgia é montada antes no computador, a partir de uma tomografia tridimensional da arcada dentária do paciente e de softwares especialmente desenvolvidos para esse fim.

Além de ser menos invasiva, a cirurgia guiada possibilita a fixação do implante e a colocação do novo dente (prótese) no mesmo dia. Mas ela não é indicada para todos os pacientes. Quem tem perda óssea, por exemplo, precisa passar antes por um enxerto de osso.

Na cirurgia guiada, o paciente faz uma tomografia computadorizada, e o dentista transfere os dados para o computador. Um software lê os dados e reproduz, em três dimensões, todo o crânio da pessoa.

Na tela, o dentista analisa a formação dos ossos da mandíbula e da maxila e escolhe os locais ideais onde serão fixados os implantes.

"O planejamento prévio diminui as chances de erro e evita que o cirurgião corte toda a extensão da gengiva do paciente para examinar o osso e escolher os locais para a perfuração e a colocação do implante", diz o cirurgião-dentista Rodolfo Candia Alba Júnior, diretor da Associação Brasileira da Indústria Médico-Odontológica.

O fato de a cirurgia não envolver cortes também deixa o paciente menos exposto a infecções e não há necessidade do uso de antibióticos -indicados nas cirurgias convencionais.

Outra vantagem do procedimento, segundo o cirurgião-dentista Luiz Antonio Mazzucchelli Cosmo, especialista em implantologia, é que, sabendo previamente onde estarão os implantes, a prótese pode ser confeccionada antes e instalada no mesmo dia.

Para a cirurgiã-dentista Nerli Juliano, a técnica é promissora mas tem indicação apenas para os pacientes sem perda óssea. "Se tem osso, já é possível fazer hoje uma cirurgia minimamente invasiva", avalia ela.

Porém, esse perfil de paciente ainda é minoria nos consultórios dentários do Brasil, que tem uma população de 30 milhões de desdentados. A estimativa dos dentistas é que sete a cada dez pacientes que desejam um implante dentário vão precisar antes de um enxerto para compensar a perda óssea.

Tanto Juliano como Cosmo dizem que a maioria dos pacientes já perdeu vários dentes há muito tempo, situação que leva a uma reabsorção óssea, ou seja, o osso que estava ao redor da raiz do dente vai se perdendo gradativamente.

Nesses casos, é necessário repor o osso perdido, por meio de cirurgias para a colocação do enxerto ósseo -que pode ser feito tanto com osso do próprio paciente (retirado da mandíbula ou da bacia, por exemplo) como de banco de osso humano.

Os enxertos podem acontecer antes ou na mesma sessão da colocação do implante. É preciso esperar de quatro a seis meses -tempo para que o implante esteja osteointegrado- para a colocação da prótese.

Segundo Alba Júnior, quando o paciente não quer o enxerto ósseo, é possível optar pelo implante fixado no osso zigomático (osso da maçã do rosto).

Fonte: Folha On-line.

Voltar

Contato

Endereço:
SEPS 714/914, Edifício Santa Maria,
Sala 313 (3ª andar) - Asa Sul

Emergência Particular Agendada 24 horas:

(61) 99299-3679


Horário Comercial: (61) 3345-7932

DF-EPAO-1964

Responsável Técnico: Dr.ª Andrea - CRO/DF 8503